Trovadorismo – a atividade dos alunos

Para viver  um grande amor,

é  preciso sagrar-se  cavaleiro

ser  da dama  por  inteiro

para  viver um grande  amor…

(Vinícius de Moraes)

O Trovadorismo foi um  movimento literário  que  se estabeleceu nos  séculos   XII a  XIV na Península Ibérica e o  sul da França. Como  já explicamos  em  outro texto, o movimento  recebeu  esse  nome,  pois  o compositor das  cantigas  medievais era  chamado de  trovador. Neste  texto, farei a descrição de   uma atividade realizada  por  mim   com  os  alunos  do  primeiro ano do  Ensino Médio. Em   2014, realizei atividade semelhante com  o  tema   Romantismo,  o  que   foi  descrito no  texto  Romantismo: o Brasil em letra de música.

A apresentação do tema  foi   feita em   duas aulas:

1ª aula:

No  início da aula,  eu  apresentei  aos  alunos  os  textos  Ai flores de  verde  pino e Quer’eu a  moda provençal, do rei  trovador  D. Dinis. Os  textos  foram apresentados  em  galego-português  e  português  moderno:

 Ai flores de do verde pino

Dom Dinis

– Ai flores, ai flores do verde pino,se
Sabedes novas do meu amigo?
Ai, Deus, e u é?

Ai flores , flores do verde ramo,
Se sabedes novas do meu amado?
Ai, Deus e u é?

Se sabedes novas do meu amado,
Aquel que mentiu do que pôs comigo?
Ai Deus e u é?

– Vós me perguntastes pólo voss’amigo?
E eu bem vos digo que é san’ e vivo:
Ai , Deus, e u é?

– Vós me perguntastes pólo voss’amado?
E eu bem vos digo que é vivo e sano:
Ai , Deus, e u é?

E eu bem vos digo que é san’ e vivo,
E será vosc’ant’o prazo saído.
Ai, Deus, e u é?

E eu bem vos digo que é vivo e sano
E será vosc’ant’ o prazo passado.
Ai, Deus, e u é?

 

Ai flores de do verde pino

(Versão em  português  moderno)

 

-Ai, flores, ai flores do verde pinheiro,
Sabeis notícias do meu amigo?
Ai, Deus, onde está?

Ai, flores, ai flores do verde ramo,
Sabeis notícias do meu amado?
Ai, Deus, onde está?

Sabeis notícias do meu amado?
Aquele que não cumpriu o que tinha jurado?
Ai, Deus, onde está?

– Vós me perguntais pelo vosso amigo?
E eu bem vos digo que está são e vivo.
Ai, Deus, onde está?

Vós me perguntais pelo vosso amado?
E eu bem vos digo que está vivo e são.
Ai, Deus, onde está?

E eu bem vos digo que está são e vivo
E estará convosco antes de terminar o prazo.
Ai, Deus, onde está?

E eu bem vos digo que está vivo e são
E estará convosco antes de passar o prazo.
Ai, Deus, onde está?

 

Após  observar o  conteúdo e  a  estrutura  dos   textos,  os alunos  receberam  material  teórico sobre a  história e  principais  características  do Trovadorismo. Material  semelhante, exclusivo dos leitores  do  blog  Conversa de  Português,   pode ser  baixado  NESTE LINK (Será  aberta  uma pasta do OneDrive).  Em  seguida, eu  apresentei a canção Para viver  um  grande amor, de  Vinícius de  Moraes, e  pedi  à  turma que  identificasse semelhanças  entre  os  textos  medievais e  o  texto do  século  XX.

Se  não conseguir  visualizar o  player, clique AQUI.

 

Ao final, eu   avisei aos  alunos  que a  tarefa  de  casa  seria uma   pesquisa musical:  eles  deveriam levar, na aula seguinte, músicas que, de  algum  modo,  os  fizesse  lembrar  os temas do  Trovadorismo: a  saudade cantada  pela   moça à  espera de seu amado (cantiga de  amigo),  amor  cortês do  jovem que declara  sua  paixão pela   musa  inalcançável (cantiga de  amor), a devoção religiosa do  rei (cantigas  de Santa  Maria), a  denúncia dos  maus  feitos (cantiga de  escárnio e  cantiga de maldizer).

 

2ª aula:  O Trovadorismo como  influência para  a  música

Na  aula  anterior,  os  alunos  ficaram  sabendo  que  poderiam ler  o texto  escolhido,  levar  instrumentos  musicais para  a sala ou apresentar  uma  mídia  com  a  música escolhida.  A  tarefa  consistira em apresentar  sua  canção e   justificar sua escolha  com  base  na  aula teórica sobre  o  tema. Abaixo  eu  coloquei apenas  algumas  canções  escolhidas pelos  alunos; o critério utilizado  para a escolha  foi a  capacidade  de o  aluno  relacionar a  poética  musical  escolhida  ao  seu  saber sobre  o  Trovadorismo. Abaixo de  cada  player segue um resumo  da justificativa  apresentada  pelo aluno.

Alguém  que  te  faz  sorrir (Fresno)

Se  não conseguir  visualizar o player, clique AQUI.

Comentário da  aluna: Na  cantiga  de amor cortês,  o  trovador coloca-se  como vassalo do sentimento amoroso e  declara todo o seu amor  à  uma  mulher que  ele   não  pode  ter,  pois  ela  já é comprometida com  outro homem. Na  música escolhida, o eu  lírico  diz que a dama   não o “enxerga”, mas  ele faz  canções  para ela  ouvir  com  outra  pessoa (“E hoje eu estou aqui / Sem ter lugar pra ficar / Escrevendo canções pra que / Você possa escutar /Com outro alguém do seu lado…”).

Me namora (Natiruts)

p>

Se não conseguir  visualizar o   player, clique AQUI.

Comentário do aluno:  O  texto  não  se  associa a apenas   um tipo de cantiga,  pois  contém  traços da cantiga amor e da  cantiga de  amigo. O  eu  lírico  é  masculino e demonstra  sua devoção à  amada, ao  mesmo   tempo em que diz acreditar ser  correspondido e  imagina a  musa sofrendo por amor  (“Me namora, pois quando eu saio eu sei que você chora / E fica em casa só contando as horas / Reclama só do tempo que demora”).

 

Leia  mais  no   blog:

Sala de aula – Trovadorismo

Trovadorismo em slide

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.