O conto de fadas

 

Uma   das  disciplinas que eu   leciono  tem  em   sua  ementa a literatura infantil e  juvenil, o que me    obriga a pesquisar sobre   o assunto e encontrar textos  teóricos para   apresentar aos alunos.  Em minhas   buscas,  encontrei  o livro O Conto de   fadas, de   Nelly   Novaes  Coelho, autora conhecida  de quem  pesquisa  literatura  infantil.

 

Nelly  Novaes é  pesquisadora de literatura  infantil e   juvenil  e  responsável  pela   criação, em  1980,  na área  de  Letras da  USP, a  disciplina de  Literatura  Infantil, em  nível de   graduação e   pós-graduação.  Em O  conto de  fadas: símbolos, mitos,  arquétipos, a  autora aborda  as narrativas   primordiais  que deram  origem  aos  textos infantis, apesar  de   não terem   sido escritas   para este público.  Para  ilustrar  suas  considerações, a  pesquisadora cita autores como Charles  Perrault, La  Fontaine, Irmãos  Grimm, Andersen, assim como   cita textos ainda  mais  antigos como  as  narrativas   orientais.

 

Ao longo dos oito  capítulos que  compõem  o   livro, a autora trata  dos  manuscritos egípcios, os textos  medievais,  as   fabulas,  os   lais  bretões, a  cultura  celta e encerra com  a  análise   formalista e   psicanalítica dos contos.

São também  obras  da  autora:

  • Dicionário  Crítico da Literatura   Infantil e  Juvenil Brasileira. Ed. Companhia  Nacional, 2006.
  • Literatura Infantil: teoria, análise, didática. Ed. Moderna. 2000

 

O_conto_de_fadas

COELHO, Nelly Novaes. O  conto de fadas: símbolos, mitos, arquétipos.  São Paulo: Paulinas,  2008 .  159p.

 

Atualização em 25/03/2017: Este livro encontra-se à  venda no site da Livraria  Saraiva. Disponibilidade de estoque e entrega do produto  são responsabilidade dos vendedores.  Ac esse pelo   link  http://compre.vc/v2/d4b96fb7

 

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários