O que é coesão textual?

 

A coesão  textual  é como  uma corrente ou como as costuras de um tecido:  se um elo se parte ou  se uma costura sai  do   lugar, o  texto fica mal construído. O que  fazer, então, para estabelecer a coesão? Quais são os mecanismos  gramaticais utilizados?

Elementos  coesivos são palavras ou expressões cuja função é estabelecer relações lógicas entre as partes do texto – como  os conectivos – ou   fazer referência a outros elementos presentes no  texto – pronomes, advérbios,  sinônimos. Vejamos  um trecho  de Aritmética da Emília, de Monteiro Lobato:

Aquele célebre passeio  dos netos  de Dona  Benta ao País da Gramática havia deixado o  Visconde  de Sabugosa pensativo. É que   todos já  tinham  inventado viagens menos ele. Ora, ele era um sábio famoso e, portanto, estava na obrigação de  também  inventar uma viagem e das mais científicas. Em vista disso, pensou uma semana inteira, e por fim bateu na testa, exclamando  numa risada verde de sabugo embolorado:

– Heureca! Heureca!

Emília, que   vinha entrando do  quintal,  parou , espantada, e depois começou a berrar de alegria:

–  O  Visconde achou! O  Visconde achou! Corram  todos! O Visconde achou!

A gritaria foi tamanha que Dona Benta, Narizinho e  Pedrinho acudiram  em  atropelo.

-Que  foi? Que aconteceu?

– O Visconde achou! – repetia a boneca entusiasmada. – O danadinho  achou!…

– Mas achou que coisa, Emília?

– Não sei. Achou. Só. Quando entrei na sala, encontrei-o batendo  na testa e exclamando:”Heureca”. Heureca é  uma  palavra grega que quer dizer “achei!”. Logo, ele  achou.

 

 Observe as palavras destacadas no texto. A que elas se referem? Em “Aquele  passeio…”,  o pronome  demonstrativo  faz alusão ao  passeio  que a turminha do  sítio fizera ao  País da Gramática; em “todos  já  tinham inventado…”, o pronome indefinido também faz referência aos personagens; em “menos ele”, o pronome pessoal substitui Visconde de Sabugosa, assim como  acontece em “encontrei-o”; “Em vista disso” substitui todo o  trecho em que o  narrador conta a ideia do sabugo de  milho. Tais  informações são  facilmente notadas pelo leitor e são resultados do uso de  recursos de coesão  textual.

A coesão  estabelece relações de sentido. Alguns autores citam alguns fatores de coesão e veremos  alguns deles: a referência, a substituição e a conjunção.

Coesão  referencial

A referência pode  ser pessoal, demonstrativa, comparativa.  A pessoal é  feita por meio de pronomes pessoais e possessivos (“Quando entrei na sala, encontrei-batendo  na testa”); a demonstrativa utiliza pronomes demonstrativos de advérbios de lugar (“Aquele célebre passeio  dos netos”);  e a comparativa é  feita por meio de  similaridades, como  aparece em  um outro  trecho da obra:” A minha viagem é um  pouco  diferente das outras“.

Substituição

A substituição  consiste na colocação de um termo  em  lugar de outro ou uma oração inteira. É um recurso  que  evita a repetição de um termo  em  particular, como  sugerimos  em  Como  evitar repetições no  texto?.

Conjunção

A conjunção estabelece relações entre termos ou orações em um texto. As conjunções usadas como  elementos coesivos são  as aditivas, adversativas,  causais e temporais: “Quando entrei na sala, encontrei-o batendo  na testa.”

 

 

Leia mais  sobre o  assunto:

Coesão textual – entenda as relações

Como costurar as partes do texto?

 

 

 

 

 

 

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários

  1. Lendo seu texto aprendi novas maneiras de unir os elos das minhas correntinhas de letras. Beijos.

  2. essas professoras inventam cada coisa ccccccccccccccchhhhhhhhhhhhaaaaaaaaaaaatttttttttttttttttttooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo