Um pouco mais sobre o hífen

 

No  texto  de  ontem,  que  faz parte  do  Especial de férias:  Acordo ortográfico,  observamos algumas regras para  o   uso do   hífen,  estabelecidas no Acordo Ortográfico de  1990.  Veremos  mais algumas  hoje e  amanhã.

Quando devemos usar o  hífen? O que   diz  o  Acordo?


1. Emprega-se hífen nos  compostos  com além, aquém, recém e sem: além-mar, além-fronteiras, recém-casado, sem-cerimônia, sem-vergonha.

2. Nas locuções de  qualquer  tipo, não se  emprega o hífen, salvo naquelas  cujo uso   já  é  consagrado:  água-de-colônia, arco-da-velha, cor-de-rosa, mais-que-perfeito, pé-de-meia.
Obs: Não se   usa hífen  nas seguintes  locuções:
a.  substantivas: cão de  guarda, fim de  semana, sala de  estar;
b. adjetivas: cor de  café com leite, cor de   vinho.
c. pronominais: quem quer  que  seja, cada  um, nós mesmos;
d. adverbiais: à parte (compare com  o  substantivo aparte), à  vontade, em cima, de mais (locução  que  se  opõe  a  de  menos; compare com demais);
e. prepositivas: abaixo de, acerca de,  a fim  de (diferente de afim), à  parte de, apesar de, debaixo de;
f. conjuncionais:  a fim de que, ao  passo  que, logo que, visto que.

3.  Em encadeamentos   vocabulares: Liberdade-Igualdade-Fraternidade, ponte Rio-Niterói, voo Rio-São Paulo.




Fonte de  pesquisa:

ACADEMIA Brasileira de  Letras.   Vocabulário Ortográfico da Língua  Portuguesa. 5.ed. São Paulo: Global,2009.


Amanhã  no   blog:  O  hífen nas   formações com  prefixo. Não  perca!


Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários