“Pode dar uma olhadinha no meu texto?”: procura-se profissionais de Letras

Se você é um profissional de Letras,  certamente  já se deparou com a seguinte situação: algum amigo ou conhecido ou mesmo desconhecido aproximou-se  com  um pedido para dar uma “olhadinha no texto dele”.  E como  argumento para você  não recusar, disse que era algo  rapidinho.  Além  disso, sequer considerou  que  a tarefa deveria  ser tratada como um serviço remunerado. Eu  não sei você, mas eu  já  passei  por  situações semelhantes diversas vezes! Eu  dou, sim, essa “olhadinha” para pouquíssimas pessoas e  em raras situações. Já  revisei  um livro inteiro  nessa condição, mas eu  quis.  Eu  defino  os  critérios!

Qual é o problema de dar  uma “olhadinha”?

São vários os problemas,  mas  só destacarei  um: essa “olhadinha”  é resultado de um curso  superior que dura, no  mínimo,  4 anos e forma um profissional e não  um curioso! Se  é profissional, deve ser pago  por  seu trabalho.  Aqui no  blog,  eu  já  respondo gratuitamente  às  perguntas  enviadas por leitores e sou professora  voluntária em um pré-vestibular comunitário da minha região.

Eu não sei  o  que  acontece com vocês, mas  até  em festa de  casamento  já  me pediram pra “tirar uma dúvida de português” e as pessoas ficam  chateadas quando  ouvem  um “Não!”. Eu parto do seguinte  princípio:  ninguém   pede ao  amigo dentista para olhar a obturação  no meio de uma festa, não  é? Questão de  bom senso…

 

Como funcionará o ClassiLetras ?

Foram  situações como  as descritas que  me  fizeram  pensar no ClassiLetras:  uma espécie de classificados com divulgação de serviços prestados por profissionais da área ou por aqueles  que  ofereçam  algum  trabalho correlato, como, por exemplo,  formatação  pelas regras da Associação Brasileira de  Normas  Técnicas (ABNT).

A página será dividida em categorias: Preparação de originais ou  revisão de textos, Formatação de trabalhos acadêmicos (ABNT), Aula  particular de Língua Portuguesa/Literatura,  Aula particular de Língua Estrangeira, Aula particular de Língua  Portuguesa para Estrangeiros, Palestras, Cursos presenciais,  Cursos  online, Tradução.

Eu não divulgarei  os valores cobrados  pelos serviços;  preços, formas de  pagamento e locais de atendimento devem ser  acordados em particular entre o  profissional e o seu  cliente.

 

Por que divulgar no ClassiLetras?

O Conversa de Português é um blog que  já  existe há 10  anos e está  presente nas principais  redes sociais. Além  disso, possui um número considerável de leitores: apenas no Facebook,  são  mais de 12 mil  seguidores e nem vou  fazer  a conta dos seguidores do  Twitter, somados  ao Instagram,  Google + e assinantes por email.   Meus leitores e seguidores são clientes possíveis para o seu  serviço!

Como  será feito  o  cadastro?

O  cadastramento é GRATUITO e somente serão consideradas  as inscrições enviadas por meio do formulário  criado especificamente  para esse fim. Os interessados deverão  indicar nome, email, breve descrição profissional, descrição do serviço e região onde ele será oferecido.

 

Quem pode se cadastrar?

Eu chamei a página de  ClassiLetras, mas  é sempre  bom lembrar que este é um blog sobre língua  portuguesa, literatura e educação; sendo assim, os  serviços  divulgados precisam  ser relacionados a uma dessas três  áreas.   Veja como ficaria o anúncio do  serviço oferecido  pelo  meu primo, o professor Bruno  Bastos, cujo curso divulguei  há algum  tempo:

Bruno  Bastos

Serviço: Curso de  Língua Portuguesa Instrumental  para Igrejas

Experiência profissional: professor de  Língua  Portuguesa na rede municipal de ensino em São José do Vale do Rio Preto (RJ), professor de Produção de Textos do Instituto Metodista de Petrópolis e professor de Metodologia da FAECAD – polo Assembleia de Deus de Petrópolis, onde  também é diácono.  Atua, ainda,  como  professor de português instrumental nos vários cursos do Instituto Teológico da Assembleia de Deus de Petrópolis.

Regiões atendidas: Petrópolis, Itaipava (RJ).

Contato: brunoletrasbastos@hotmail.com

 

Talvez, você não tenha formação  em Letras, mas ofereça um serviço correlato, como o meu amigo Valério Alex, experiente em formatação de textos pela ABNT, embora seja graduado em  outras  áreas.

Valério  Alexandre

Serviço:  Formatação de textos acadêmicos pelas normas da ABNT.

Experiência profissional: Foi revisor bibliográfico do Instituto de Economia Agrícola da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, responsável também pela editoração eletrônica das publicações da instituição. Foi membro do Comitê Brasileiro de Informação e Documentação da ABNT, além de fazer parte de diversos grupos de trabalho de elaboração e revisão de normas técnicas.

Regiões atendidas: Região Sudeste

Contato: valerioalex@gmail.com

 

 

“Eu tirei  999,9  na  redação do ENEM.  Posso me cadastrar para dar aula de redação?”. Você  é graduando de períodos  avançados no curso de Letras? Sim! Você recebeu  a  nota do  ENEM em  janeiro 2018 e  vai  fazer um outro  curso que nem  tem  relação com  Letras? Não!

Um professor de línguas não  ousaria realizar uma cirurgia ou  defender um preso em  um tribunal, só  por achar essas  atividades  sensacionais! A ideia do  projeto  é divulgar e valorizar o trabalho de profissionais.

 

A divulgação será  feita  apenas no  blog Conversa de Português?

Não! Além da divulgação na página específica do projeto, eu  divulgarei  os profissionais nas redes sociais do blog, a fim de dar maior visibilidade aos anúncios.

Agora faça a sua  parte: cadastre-se para divulgar o seu trabalho!


Use Wufoo integrations and get your data to your favorite apps.

 

 

Se não conseguir visualizar o  formulário, clique AQUI.

 

 

 

2 comentários em ““Pode dar uma olhadinha no meu texto?”: procura-se profissionais de Letras

  1. Andréa Motta, como sempre me surpreendendo ao longo desde quase onze anos. Amei saber que faz um trabalho voluntário, temos pensamentos similares quanto a fazer algo pelo próximo. Eu formei muitos alunos em nos curso de informática para pessoas carentes aqui em na minha cidade. Hoje, quando vejo alguns deles com sua própria empresa ou trabalhando por conta própria com seus respectivos carros e outros motos meus olhos ficam rasos d’água de emoção, pois eu pude ajudar alguém a sair de uma situação de quase miséria que hoje olhão nos meus olhos e agradecem o que eu pude proporcionar a eles. Muitos eu até ajudei na passagem do transporte público para que não deixassem de ter as aulas e desistissem. Só parei com o projeto quando a empresa a qual eu trabalhava à época resolveu não patrocinar mais esses cursos em suas dependências e logo depois me mandou embora.
    Mas como eu sempre digo a vida está aí e as oportunidades são para todos nos independentemente de que classe social você pertença. Basta, para isso, acreditar em si mesmo e colocar na cabeça constantemente que é capaz e que vai conseguir e que os seus desejos se tornarão realidade.
    Não me alongarei mais aqui, mas quero que saiba que meus olhos ficaram marejados ao saber que tens um trabalho tão maravilhoso que é dar as pessoas o seu tempo e o teu conhecimento que sei que não é pouco e que são fruto de muito, mas muito, esforço e dedicação, pois como digo aos meus alunos que não existe almoço grátis, mas existem oportunidades, basta estamos sempre atentos às oportunidades que a vida nos dá diariamente.
    Um forte e carinhoso abraço do teu amigo virtual.
    Evaldo

    1. Evaldo, obrigada pelo texto e por acompanhar o blog há tento tempo!
      Fico feliz por saber que temos o voluntariado em comum. É isso: se o nosso conhecimento não pode ser doado de algum modo, então ele não serve pra nada. Eu cresci em uma paróquia (eu sou católica) onde oferecer trabalho voluntário é tão natural quanto beber água; é o que nós lá sabemos fazer e fazemos bem.
      Não sei se você leu e ouviu, mas há pouco tempo contei um pouco dessa minha história em outro texto: http://conversadeportugues.com.br/2018/01/o-direito-a-educacao/
      Obrigada pela visita!

Deixe uma resposta