8 de setembro – Dia Internacional da Alfabetização

8 de setembro é considerado o Dia Internacional da Alfabetização. A data foi criada pela UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – em 1967 com o propósito de despertar a consciência de que a alfabetização é um direito humano e é a base para todo aprendizado.

O que significa alfabetização?

Por alfabetização entendemos a  “capacidade de  o  indivíduo  dominar o código alfabético e comunicar-se por  meio da  escrita” (KLEIMAN, 2005, p. 10). O uso social que se faz da leitura  e da escrita tem  sido  chamado de letramento – termo que apareceu, pela primeira vez, na literatura educacional brasileira  em 1986, com a  publicação de No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística, de  Mary Kato. Isso significa que o professor deve promover práticas diárias de leitura de jornais, revistas, livros e observação do ambiente social em que o estudante se insere. O educador Paulo Freire,  em  diversas de  suas  obras, afirmava não bastar o  ensino da  decodificação o texto; a aquisição da leitura precisa promover a transformação da  vida do indivíduo alfabetizado,  a  fim de  que  ele  mesmo fosse  capaz de buscar  seus  direitos sociais.

Quais são os  índices de  alfabetização e leitura no Brasil?

A última Pesquisa  Nacional  por Amostra de  Domicílios  (PNAD) foi  realizada  pelo Instituto Brasileiro de  Geografia e Estatística  em  2012  e  divulgada em setembro de  2013 e, de acordo  com o   site do IBGE, a próxima  deve ser publicada em novembro.  Naquela época, a taxa de  analfabetismo  entre  a  população brasileira  com  idade  igual ou  superior a 15 anos era de  9,6%.

Em 18 de maio de  2016, o  Instituto Pró-Livro divulgou os  resultados do  projeto Retratos da  Leitura no Brasil.  Na pesquisa (feita  por  amostragem), foram ouvidos 5.012 participantes e estima-se que  56% da população acima dos 5 anos de idade leram pelo menos partes de um livro nos três meses anteriores ao  levantamento. A metodologia do Instituto considera leitor apenas o “indivíduo que leu pelo menos partes de um livro” – em papel, digitais ou eletrônicos e áudio livros, livros em braile e apostilas escolares, excluindo-se manuais, catálogos, folhetos, revistas, gibis e jornais.

A  UNESCO  –  Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – também realizou um trabalho semelhante  e constatou-se a redução do analfabetismo entre a  população adulta,  mas   o  número ainda  é muito alto: 774  milhões de  adultos  no mundo não têm acesso à escola e, desse  total,  64%  são mulheres.

Índices como esses só  reforçam a  necessidade de ampliar  o acesso da população aos  materiais impressos.  O Sistema  Nacional de  Bibliotecas Públicas informa, em  seu site,  6.102  bibliotecas  públicas, instaladas  em  98% dos municípios brasileiros. De acordo com os dados atualizados em abril de 2015,  elas  estão assim distribuídas pelo  país: 503 na Região Norte;1.847 na Região Nordeste; 501 na Região Centro-Oeste; 1958 na Região Sudeste;1293 na Região Sul.  Se  fizermos  a conta, veremos  que  é um número muito, muito  baixo para a totalidade de  municípios brasileiros (5.570). A média  é de apenas  1 biblioteca pública por cidade.

Em 2013, a  professora  Magda Soares  concedeu  uma  entrevista ao Canal Futura e falou  sobre  o tema  alfabetização na  infância.  Assista  abaixo:

Se não conseguir  visualizar o player,  clique AQUI.

 

Referências:

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA.  Perfil dos municípios brasileiros em 2015.  Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/perfilmunic/2015/>

_______.  Pesquisa nacional por  amostra de domicílios. Disponível em:  <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/pesquisas/pesquisa_resultados.php?id_pesquisa=40>. Acesso em  08 set.  2016

KATO, M.  No mundo da escrita: uma perspectiva psicolinguística. 3.ed. São Paulo: Ática, 1990.

SISTEMA NACIONAL DE  BIBLIOTECAS  PÚBLICAS. Dados das bibliotecas públicas no  Brasil. Disponível em: <http://snbp.culturadigital.br/informacao/dados-das-bibliotecas-publicas/> Acesso em 08 set. 2016.

UNESCO. Educação para todos. Disponível em: <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/education/education-for-all/>. Acesso em  08 set. 2016

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.