[Produção textual] Como fazer um resumo? Aprenda a sumarizar!

Eu e meus alunos do último ano do Ensino  Médio  estamos estudando dois importantes  gêneros textuais: o resumo e a resenha.  Uma das  dificuldades  que os  estudantes  costumam  relatar é a dificuldade que sentem  para  selecionar os dados  mais relevantes  do texto a ser resumido. Assim,  mostrei aos   alunos um dos processos essenciais na  redação de resumos: a sumarização.

Antes de produzir o resumo, é importantíssimo compreender o sentido do global do texto a  ser resumido. Inicialmente, fazemos uma  leitura inspecional  (aquele nível em  que  o leitor  apenas  “passa os olhos” pelo texto), em busca de  algumas  informações:  Quem é o  autor? Qual é o gênero textual? Quando e onde foi publicado? Qual  é o tema? Posteriormente, buscamos identificar as  principais ideias  do texto por meio da compreensão de  vocabulário e, por último,  localizamos as informações  mais relevantes. É nesse ponto que  surge o  problema do redator: como  apresentar tais  dados sem escrever  um resumo  muito longo e sem ignorar  os dados importantes do texto original? É nesse ponto que observamos o  quanto o processo de  sumarização é fundamental!

Anna Rachel Machado (2004)  indica, pelo  menos, sete estratégias  de  sumarização.  Eu selecionei alguns textos e  os sumarizei,  com  base nas  estratégias listadas pela autora.

1.Apagamento de conteúdos facilmente inferíveis a partir  do conhecimento de  mundo.

Exemplo:

Após  o céu  ficar  cinza,   caiu um imenso temporal.

Sumarização: Caiu  um imenso temporal.

Informações excluídas e comentário: O  fato de  o   céu  ficar  cinza  antes do temporal é inferível, devido ao nosso conhecimento de mundo.

2. Apagamento de  sequências de  expressões que indicam sinonímia ou explicação.

Exemplo:

Em termos de  estrutura  narrativa, isto é, a  forma  como são apresentados os  fatos narrados, o romance de 30 é, fundamentalmente, linear. (DACANAL, 2001, p. 17)

Sumarização: Em termos de estrutura  narrativa,  o  romance de 30 é linear.

Informações excluídas e comentário: A  oração introduzida  por “isto é” é a explicação de “estrutura narrativa”.

3. Apagamento de exemplos.

Exemplo:

Vestido de noiva

Uma característica inovadora desta  peça de  Nelson Rodrigues está  no  uso poético e provocador que ele  faz das  rubricas, as  indicações para a cena que  o autor põe  no texto como orientação. Por exemplo, há   homens e mulheres que são descritos como “inatuais”.  O  que  quer  dizer isso? A  certa altura, a rubrica diz que Alaíde apanha  um ferro  “ou  coisa que  o valha” para malhar a cabeça de Pedro,  seu marido. Que  “coisa   que  o  valha é essa?” (AGUIAR, 2004, p. 85)

Sumarização: Uma característica desta  peça é o uso inovador que  o autor  faz  das rubricas.

Informações excluídas e comentário:  As  estratégias utilizadas foram o apagamento de expressões  explicativas e apagamento dos exemplos.

4. Apagamento das  justificativas de  uma  afirmação.

Exemplo:

O  principal suspeito de  assassinato era o  marido:  era  ciumento  e  não tinha  um álibi. (MACHADO, idem, p. 26)

Sumarização: O  principal  suspeito  de  assassinato era o  marido.

Informações excluídas e comentário: as  orações eliminadas   indicam  os   motivos pelos  quais  o marido  foi considerado suspeito.

5. Apagamento de  argumentos contra a posição do autor.

Exemplo: A pena de  morte tem muitos argumentos a seu favor, mas  nada justifica tirar  a vida do semelhante.  (MACHADO, idem, p. 26)

Sumarização: Nada justifica tirar a vida do semelhante.

Informações excluídas e comentário: O período é coordenado pela conjunção “mas”  que  une  duas ideias  opostas. A posição do autor está explícita na  segunda  oração.

6. Reformulação das  informações, utilizando termos  mais genéricos.

Exemplo:

Miguilim (trecho)

Um certo Miguilim morava com a  mãe, seu  pai e seus irmãos,  longe,  longe daqui, muito depois  da Vereda-do-Frango-d’Água e  de outras veredas  sem nome ou   pouco conhecidas, em   um ponto remoto no Mutúm. (ROSA, 2001, p. 7)

Sumarização: Miguilim morava com a  família, longe dali,  no Mutúm.

Informações excluídas e comentário: Algumas informações do texto original foram reformuladas e substituídas por outras  mais genéricas (o trecho “mãe, pai e seus  irmãos” foi substituído por “família”);  o  adjunto adverbial de  lugar “longe,  longe daqui…”  foi reescrito para  eliminar  o advérbio recorrente  e  adequar a  escrita a um texto na terceira pessoa do discurso  (“longe dali“). Também utilizei o apagamento de  umas das  informações, que servia apenas  para intensificar a descrição sobre a  distância do local (“muito depois  da Vereda-do-Frango-d’Água e  de outras veredas  sem nome ou   pouco conhecidas”).

7. Conservação de  todas as  informações,  dado que elas  não são resumíveis. Exemplo:

A  linguística moderna surge  quando Saussure, no Curso de Linguística Geral (1969),  estabelece  seu  objeto.

Comentário: As informações não são resumíveis.

Podemos  concluir  que  o  processo de  sumarização envolve a  compreensão  global do texto, por  meio da qual são identificadas a  ideia principal e  as  secundárias.

Confira no blog:

Como fazer  um bom resumo?  – Veja  quais são as  outras  características do gênero textual resumo.

Referências bibliográficas:

AGUIAR, F. Apresentação da peça. In: RODRIGUES,  N.  Vestido de noiva. 2.ed. Rio de  Janeiro:  Nova Fronteira, 2004.

DACANAL, J.H. Romance  de  30. 3.ed. Porto Alegre: Novo Século, 2001.

MACHADO,  A.R.; LOUSADA, E. ; ABREU-TARDELLI,  L. S. Resumo.   São Paulo:  Parábola, 2004.

 ROSA, G.  Manuelzão e Miguilim. 11.ed. Rio de  Janeiro: Nova  Fronteira, 2001

Gostou? Divulgue!

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Comentários

    1. Elias, produção textual não é matemática! Não existe uma porcentagem ideal determinada para esse (ou qualquer outro) gênero textual. O que existe é uma Norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que determina a quantidade de palavras dependendo do tipo de trabalho acadêmico em que o resumo se insere. Sugiro que você procure a NBR 6028:2003 e veja lá os diversos tipos de resumos acadêmicos existentes e o tamanho sugerido para cada um deles: de 50 a 500 palavras.

  1. Professora, obrigado. Na verdade essa é uma dúvida antiga. Durante minha Graduação em História um professor de 1o periodo nos obrigava a resumir em 10% do original. Sempre acreditei q um resumo menor q 10% era “pobre”. Vou tentar me preocupar mais com a qualidade do que com a quantidade.
    Obrigado pela atenção e parabéns pelo excelente trabalho!

    1. Elias, obrigada por retornar!
      Pense no resumo de uma tese ou dissertação de 200 páginas. Qual seria o tamanho de seu resumo? Veja como a história (sem trocadilhos) dos 10% não tem o menor sentido prático! Qual seria a base dessa porcentagem: páginas? Palavras? O quê?

  2. Era um cálculo matemático estranho: meu professor diria pra resumir 200 pp em 20 pp… As vezes sinto q já entendi o texto, mas como não consegui resumi-lo nos cerca de 10% o resumo não ficou “adequado”.

    1. Miriam, na verdade, você conhece, sim! É o que costumo dizer aos meus alunos: sumarização é um processo mental que todos nós usamos quando vamos contar algo a alguém. Obrigada por visitar o blog!