ENEM 2014 – Questão comentada: Pré-Modernismo

Nós  começamos a  nossa  série  de  questões  comentadas  do ENEM 2014. Neste texto, faremos a  análise da  questão  97 do Caderno Rosa e, como já  explicamos  no texto anterior, a  estrutura é a seguinte: apresentação da questão, competência e habilidade correspondente da  matriz  de  referência do  INEP,   gabarito oficial,   comentário e   link para estudos.

Questão 97

Psicologia de um vencido

Eu, filho do carbono e do amoníaco,
Monstro de escuridão e rutilância,
Sofro, desde a epigênese da infância,
A influência má dos signos do zodíaco.

Profundissimamente hipocondríaco,
Este ambiente me causa repugnância…
Sobe-me à boca uma ânsia análoga à ânsia
Que se escapa da boca de um cardíaco.

Já o verme – este operário das ruínas –
Que o sangue podre das carnificinas
Come, e à vida em geral declara guerra,

Anda a espreitar meus olhos para roê-los,
E há de deixar-me apenas os cabelos,
Na frialdade inorgânica da terra!

(ANJOS, A. Obra completa. Rio de  Janeiro: Nova Aguilar, 1994. )

A poesia de  Augusto dos Anjos revela aspectos de uma literatura de  transição designada como pré-modernista. Com relação à poética e  à abordagem temática presentes no soneto, identificam-se  marcas dessa literatura de  transição,  como

(A) a forma do  soneto,  os  versos  metrificados, a  presença de  rimas, o vocabulário requintado, além do ceticismo, que antecipam conceitos estéticos vigentes no Modernismo.

(B) o  empenho do eu lírico pelo resgate da poesia simbolista, manifesta em  metáforas como “Monstro de  escuridão e rutilância” e “Influência má  dos  signos do zodíaco”.

(C) a seleção lexical emprestada do cientificismo, como se  lê em  “carbono e amoníaco”, “epigênesis da infância”, “frialdade inorgânica”, que restitui a visão naturalista do homem.

(D) a manutenção de elementos  formais vinculados à  estética do  Parnasianismo e do Simbolismo, dimensionada pela inovação  na expressividade poética e o desconcerto existencial.

(E) a ênfase no  processo de  construção de  uma poesia descritiva e ao mesmo  tempo filosófica, que incorpora  valores  morais e científicos mais tarde renovados pelos modernistas.

Gabarito oficial: D

Competência:

Competência de área 5 – Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção.

Habilidades:

H15 – Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político.

H16 – Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário.

Comentário:

 Augusto dos  Anjos é,  como  já está afirmado pelo enunciado da questão, um poeta de  transição. Sua obra  caracteriza-se pela   influência dos  movimentos  literários anteriores. Do Parnasianismo, o  poema Psicologia de  um vencido mantém a métrica rigorosa dos  sonetos  e as  rimas  opostas (A-B-B-A);  do Simbolismo, aproveita  a  espiritualidade expressa no  trecho  “A influência má dos signos do zodíaco”. Embora  a  questão não considere  a  influência do Naturalismo, podemos observar  uma  aproximação com esse  período por  meio do vocabulário científico.

Aprofunde  seus estudos:

Vandalismo e outros poemas

 

Leia  nossa  análise da questão 96. Clique AQUI.

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.