Crase: agradecemos a todos ou agradecemos à todos?

“Agradecemos a todos  ou agradecemos à todos”: qual  é a  forma correta? Devemos  ou  não usar  o  acento indicativo de  crase? Certamente,  essas  são perguntas  feitas  por   muitas  pessoas  na hora de  redigir um  texto. Veja abaixo o  que é a crase e  em  quais  casos  ela  ocorre.

 

O que é crase?

Crase  é  fenômeno fonético  que  ocorre devido à  contração de duas  vogais idênticas.  Ele acontece no encontro da preposição A com  o  artigo a, as, ou com o  pronome demonstrativo feminino a, as, bem  como  o a dos demonstrativos aquela,  aquele, aquelas,  aqueles, aquilo e dos relativos a qual e as quais. Na língua  portuguesa, o fenômeno  é  indicado  graficamente pelo acento grave ( ` ). Veja abaixo alguns  exemplos:

  • Não irei à cidade hoje.  –  A crase resulta da contração da preposição exigida pela  regência do verbo ir (ir A) com o artigo   feminino que  antecede o substantivo feminino cidade (A cidade).
  • Quero agradecer  àquele rapaz.  – A preposição  exigida  pelo verbo agradecer   contraiu-se com o pronome demonstrativo aquele.
  • Desconheço  a música de Caetano Veloso  à qual você fez referência. –  A crase resulta da contração da   preposição exigida pelo substantivo referência com  a preposição que acompanha o pronome  relativo.

 

A todos

 

Casos em que a  crase  é obrigatória:
1.  Em locuções adverbiais  femininas  de  tempo, modo e   lugar.  Exemplos:
Cheguei às  20 horas.
Entrou na sala às pressas.
Voltaremos  à  cidade no  próximo ano.

 

2.  Em locuções  prepositivas ( à + palavra  feminina + de) e  conjuntivas ( à + palavras feminina + que). Exemplos:
Ela saiu à procura de  ajuda.
Ficava preocupada à  medida que os  filhos demoravam a  chegar.

 

Casos em que a  crase  é  opcional:
1. Com pronomes   possessivos  (minha, sua, nossa etc.). Ex.: Entreguei os livros à minha irmã.  /  Entreguei os livros  a minha  irmã.
2.  Com nomes  de   mulher. Ex.:  Eu me dirigi  à  Luiza. / Eu me dirigi a Luiza.

 

3. Com  a  palavra até. Ex.:  A estrada   vai até à praia. /  A estrada   vai  até a  praia.

 

Casos em  que  a  crase é proibida:

 

1.  Com palavras  masculinas.
Exemplos:  Escreva o  texto a  lápis.
A tela era  uma pintura a óleo.

 

2. Com verbos. Ex.: Ela começou a  escrever.

 

3. Com os  demonstrativos esta (s), essa (s) e o relativo cuja (s). Ex.: Dou   valor  a essa   conquista.

 

4. Com pronomes  pessoais do  caso  reto e  pronomes de tratamento. Ex.: Obedeço a  ela, não  a   Vossa   Excelência.

 

5. Com preposição A +  palavra  plural. Ex.: Referia-se a  questões educacionais.

 

6. Entre palavras  repetidas.  Ex.: Estávamos   frente a  frente.

 

7. Com nomes de  cidades (sem especificativo).  Ex.: Iremos a  São José dos Campos.
Cabe ressaltar que a  expressão  São José dos Campos repele o artigo em outras construções: viver em São José dos Campos;  sair de  São José dos Campos; a caravana passa por São José dos  Campos.

 

8. Com a palavra casa (sem especificativo). Ex.: Chegamos  cedo  a  casa.

 

9.  Com a  palavra   terra (no sentido  oposto ao  de  água). Ex.: O náufrago  chegou  a  terra.
Observações:
1ª) Com nomes de  cidade, havendo especificativo, ocorrerá crase. Ex.: Iremos à   bela  São José dos Campos.
2ª) Se a palavra  casa   apresentar um especificativo,  ocorrerá crase. Ex.: Chegamos cedo à  casa de  nossos  amigos.

 

Leia  também no  blog:

Ocorre crase diante de nomes de lugar?

Desde as 5h ou desde às 5h?

Se  você gostou das nossas dicas,  faça o download do nosso material de  estudo  sobre a  crase. Clique AQUI. (Será aberto um arquivo em PDF no OneDrive).

 

  • Elizabeth Araujo Lima

    Muito importante saber!