23 obras para ler (e estudar) na internet

Os  leitores do Conversa de  Português sabem  que sou  professora. Este ano  eu estou  com turmas iniciais e  finais  do Ensino Médio e resolvi inovar  com  os  mais novos: não vamos  comprar  nenhum livro! Decidi  que vamos  procurar  tudo na  internet, mas  os alunos já aprenderam a  primeira lição: direito autoral é  coisa séria!

Duas turmas estão estudando o Romantismo brasileiro e nós vamos buscar no site Domínio Público  as  obras de que  necessitamos  para os  nossos estudos. Por que procurar naquele site? Ora, não queremos  ferir  a  lei de  propriedade intelectual! Obra de  domínio público é apenas  aquela cujo autor faleceu há, pelo  menos, 70 anos,  de  acordo com a  Lei nº 9.610 de 1998.

Eu selecionei algumas  obras,  geralmente utilizadas   no Ensino Médio, e  que podem  ser  baixadas  sem ferir  nenhuma  lei. Veja abaixo a  nossa seleção:

Humanismo (século XV):

Gil Vicente –   Farsa de Inês  Pereira

Renascimento (Século XVI)

Luiz de  Camões – Os  Lusíadas

Quinhentismo (Brasil,  século XVI)

  Pero Vaz de  Caminha  – Carta

Barroco (Séculos XVII e  XVIII):

Padre Antônio Vieira – Sermão da Sexagésima

Gregório de  Matos – Seleção de  obras  poéticas

Neoclassicismo (século XVIII):

Cláudio Manoel da  Costa –  Poemas  escolhidos

Tomás  Antônio Gonzaga –  Cartas  chilenasMarília de Dirceu

Basílio da  Gama –  Uraguai

Romantismo

Álvares de  Azevedo –  Macário

Castro Alves –   Vozes d’África

Joaquim  Manoel de  Macedo – A  moreninha

José de Alencar  –   Lucíola ,  Senhora, Iracema

Realismo

Eça de  Queiroz – O  primo  Basílio

Machado de  Assis –  A  mão e  a luva O alienista, Memórias póstumas de  Brás  CubasMissa do galo, Quincas  Borba,

Naturalismo

Aluísio Azevedo  –  O  cortiço

Raul Pompeia  –  O Ateneu

Simbolismo

Cruz e Souza –  Broquéis, Missal

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários