Aprenda a formar o plural de substativos compostos

Uma das dificuldades de quem está  aprendendo língua portuguesa – quer como língua  materna, quer como língua estrangeira – é a formação dos  plurais de  palavras compostas. Neste texto, abordaremos a formação dos substantivos  compostos  por justaposição.

Existem dois processos  principais de  formação de palavras  na língua  portuguesa: composição e derivação. A primeira caracteriza-se pela união de duas ou mais palavras para a formação de uma outro com sentido diferente. A segunda, por sua vez, consiste na formação de uma  palavra  nova a  partir de  um outro  vocábulo. Aqui, no Conversa de  Português, já discutimos  sobre esses  processos de formação de palavras. A justaposição é  um dos processos da  composição e corresponde às  palavras que se unem  sem  nenhum tipo de alteração fonética;  é  o caso, por exemplo, de  guarda-sol, amor-perfeito, madrepérola, pontapé.  Como formar o plural desse tipo de substantivo?  Veja as regras que  transcrevemos de Bechara (2009):

  • Seguem a norma geral os  substantivos compostos que se escrevem  sem hífen: aguardentes,  lobisomens, claraboias, madrepérolas, pontapés, malmequeres.
  • Varia apenas o segundo elemento nos compostos  formados por palavra invariável +  palavra variável, verbo + substantivo, grão (grã) + substantivo e os  nomes de rezas: vice-diretores, quebra-molas, grã-duquesa, tico-ticos, ave-marias.

beija-flor_BLOG

 

  •  Varia somente o primeiro elemento nos compostos de substantivos unidos por preposição: águas-de-colônia, pés de moleque (perdeu  o  hífen  na  reforma ortográfica), mulas sem  cabeça (idem).
  • Ambos  os  elementos variam nos  compostos formados por dois substantivos, substantivo + adjetivo, adjetivo + substantivo e formas verbais repetidas: decretos-leis, guardas-civis, corres-corres.
  •  Permanecem  INVARIÁVEIS: frases substantivas, verbo + palavra invariável, dois temas verbais de  significado oposto: os  disse me disse, os  bumba meu boi (perdeu o hífen com a  reforma ortográfica), os leva e traz (idem).

O  que  achou de nosso texto?  Esclarecemos  a  sua  dúvida  sobre  o  plural dos  substantivos  compostos?

 

Leia mais no  blog:

Formação de palavras  em slide

Acordo Ortográfico: O que houve,  afinal, com  o hífen?

 

Referência:

BECHARA, E. Moderna gramática portuguesa. 37. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários

  1. Uma vez eu vi que a palavra porta-copo, somente a segunda palavra ia para o plural. Por que? se as duas são variáveis. Não entendi, você poderia me explicar?

    1. Elizangela, a explicação é muito simples! Em “porta-copo”, não existem duas palavras. O que temos é UMA palavra composta por justaposição em que o primeiro elemento é um verbo e o segundo, substantivo; logo, apenas o segundo é variável. Note que a regra é exatamente a mesma da palavra “beija-flor”, que está citada em nosso texto.

      Obrigada pela visita ao blog!