[Produção textual] O que evitar na sua redação?

O Exame Nacional do Ensino Médio está próximo.  Em 27 de outubro, acontecerão as provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, Redação e Matemática e suas Tecnologias.  Apesar da proximidade, muitos candidatos  ainda têm dúvidas sobre a prova de  Redação. 

No  site oficial do Exame, aparecem  algumas  dicas sobre o que  será considerado para  a correção:

– Não atender a proposta solicitada ou desenvolver outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo;
– Entregar a folha de redação sem texto escrito;
– Escrever até 7 (sete) linhas, qualquer que seja o conteúdo;
– Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
– Desrespeito aos direitos humanos;
– Parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

Por que  o candidato deve se preocupar com essas questões?

Um dos principais equívocos cometidos em provas de redação é a fuga do tema. Lembram da  confusão  provocada pela receita de  miojo e  o  hino do  Palmeiras no  ENEM 2012? Os candidatos resolveram  fazer uma “gracinha” e,  por causa disso, a correção deste ano será muito mais rigorosa. Não adianta nada escrever um texto  sem  erros ortográficos, coesão e coerência perfeitas, se a banca mandou escrever sobre as manifestações políticas no Rio de Janeiro e  o candidato decidiu fazer  um texto sobre a  beleza  da natureza.  O mesmo vale para  o gênero textual e a  modalidade discursiva. Após concluir sua redação, releia  e veja se atingiu  o  objetivo.

Nem só de vírgulas e acentos  é feito um bom texto; é preciso  ter cuidado com a linguagem. É bom deixar  de  fora expressões  típicas da  linguagem  oral ou das redes sociais, já que exames como  o ENEM privilegiam  a  norma  culta  da  língua portuguesa.  “Né?”, “Vc” são aceitáveis apenas em  alguns contextos; devem, portanto, ser esquecidas na  elaboração de  um texto formal.

O personagem Odorico Paraguassu – protagonista de O bem amado, de Dias Gomes – usava linguagem rebuscada e  muita gente acha que, para fugir da linguagem  informal demais, deve fazer como o político da ficção: usar um vocabulário excessivamente sofisticado que nem sempre acrescenta muita coisa ao texto. Na hora de escolher o  vocabulário, vale o  bom senso.

Desconsiderar  a progressão do texto também  é  um problema.  Planejar a estrutura do texto – introdução, desenvolvimento, conclusão – e evitar repetição de palavras ou  ideias são cuidados essenciais.

Para  fazer o download do guia de redação oficial do ENEM,  clique AQUI.

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários

  1. Gostei muito sobre o auxílio para fazer uma redação valendo 10, são pontos importantes para que possa ir bem na redação. Era exatamente os requisitos que eu precisava. Muito bom!!!

  2. Gracinha?
    eles fizeram propositadamente p’ra provar que eles não corrigem todas as redações! e foi mais que provado. as notas deles ficaram acima da media e ainda maiores do que de outras redações que respeitavam todas essas normas ditas!

    A EDUCAÇÃO NO BRASIL É UMA PIADA!

      1. O que acontece é que ele está certo, até certo ponto, dado que as medias deles em média foram de cerca de 500 a 650 pontos… uma média relativamente baixa para uma redação de tal valor, então, além de não corrigirem corretamente eu não vi problema no que eles fizeram…

        antes que vc venha dizer que eu estou buscando desculpas, saiba que eu fiz o enem no ano passado só pra ver como era e consegui uma pontuação de 740 pontos na redação. =D