[Produção textual] Capriche na redação do ENEM

Quem  deseja alcançar  um bom  desempenho  no  Exame Nacional do Ensino  Médio precisa ler muito –  o  que  significa manter-se atualizado com as notícias – e ficar muito atento à redação,  que  pode ser apresentada de  uma maneira  um pouco diferente dos  vestibulares tradicionais.

No texto Língua Portuguesa no ENEM, apresentamos algumas das competências e habilidades exigidas do candidato. Veja de que maneira elas são cobradas na prova de redação.

Conhecimento da norma culta da língua – Embora a expressão “norma culta da língua” seja  muito questionada entre os  linguistas, é ela que aparece nos  editais de concurso indicando que  o candidato deverá demonstrar o conhecimento das regras de pontuação e ortografia oficial; vocabulário adequado; texto  claro, preciso e objetivo;

Construir e aplicar conceitos de diversas áreas de conhecimento – A banca quer saber se o  candidato é  bom  leitor  e se consegue estabelecer  relações entre diversos  temas. Como  conseguir isso?  Leia muito! Candidato  que  lê muito tem mais  chances de desenvolver melhores argumentos.

Resolver situações-problema – Na redação, a  situação-problema é  o  tema proposto  pela  banca.  No  ENEM,  ele  é apresentado  sob a  forma  de uma antologia e pode ser estruturado a partir de diversos gêneros  textuais, textos  verbais e  textos não-verbais.

Capacidade de argumentação – O  candidato deve defender o  seu  ponto de  vista a partir de argumentos  construídos de modo a  convencer o  leitor.

O professor Luiz Ricardo  Leitão, em  seu  livro  Redação de textos  dissertativos,  resume a  matriz de correção dos concursos  em quatro  pontos: tipo  textual; pertinência textual (qualidade e densidade do  conteúdo); exaustividade textual (quantidade do  conteúdo, atendimento aos pontos  apresentados na coletânea da proposta); modalidade da língua (uso das normas usadas na modalidade escrita da língua). Dizer que  os  avaliadores esperam o uso adequado da modalidade escrita da língua portuguesa é  redundante, mas  por que os outros  pontos  são igualmente importantes?

Se a banca  quer um texto dissertativo, não  escreva uma narração; se o  fizer,  é provável  que  receba nota ZERO por não  atender à  modalidade e tipo textual  exigidos. O  mesmo  vale para o  tema: a  banca pediu para falar sobre aquecimento  global? Obedeça, pois fuga ao  tema  pode significar a desclassificação do seu  texto.

A expressão “exaustividade textual” refere-se à “cobertura suficiente dos tópicos ou ideias mestras da coletânea, diferente […] da exaustão cansativa de pormenores não significativos” (LEITÃO, p. 212). Espera-se que o  candidato  aproveite as informações fornecidas pela  banca.

 Referência  bibliográfica:

LEITÃO, L.R. Redação de textos  dissertativos: concursos, vestibulares, ENEM. Rio de  Janeiro: Ferreira,  2011

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.