capa[2]

Introdução à Literatura para crianças e Jovens

0 122

 

 

 Lúcia Pimentel Góes é  formada em  Música e Direito, com  pós-doutorado em  Comunicação e  Semiótica pela PUC-SP. Foi  coordenadora dos seminários de Literatura para Crianças e Jovens das Bienais Internacionais do  Livro de  São  Paulo. Em seu  livro Introdução  à Literatura para crianças e Jovens, publicado  pela Editora Paulinas, a pesquisadora propõe a seguinte reflexão: “Existe uma  literatura para crianças e jovens?”.

O  livro  é  dividido  em  cinco  partes: o conceito de  literatura e literatura para crianças; histórico da  literatura infantil; histórico da literatura infantil universal;  tipologia das histórias infantis e referências  bibliográficas.

A autora dedica-se, na parte I, aos conceitos diversos do  que é  literatura infantil. Ela  afirma que “a origem da obra é  irrelevante (escrita ou não para crianças). Abrange, assim, as obras que  não  foram  inicialmente destinadas às crianças, mas das quais elas se apropriaram”.   Contrariando  outros  estudiosos do  assunto,  Góes desconsidera a função  educativa do  texto  infantil e repudia o  tom  moralizador de algumas  obras. Segundo a autora,  a  função de  educar pertence à  família, grupo social  mais  próximo da criança: “Não  se educa através da palavra, mas  através do exemplo”.

A segunda e a terceira partes do  livro  são  dedicadas ao histórico da literatura infantil. Ao  contar a origem, a  autora cita John Newberry, o primeiro a publicar  um periódico destinado  às crianças e editado de 1751 a  1752.   Lúcia Góes cita  uma origem  remota: Panchantranta, uma antolologia de fábulas indianas,  escritas no  século VI de nossa era. Outros autores costumam  considerar apenas as obras publicadas a partir do  século  XVII, como  Contos  da Mamãe Gansa, de Charles Perrault.

Na quarta parte, surge a tipologia das histórias infantis e a autora lembra-nos  que  os  contos  de fadas não  foram  originalmente escritos para crianças, ao contrário do que se costuma pensar.  Aborda também as características do teatro infantil, embora  não  informe ao  leitor quando  a primeira peça  infantil  foi  encenada. Como  outros autores,  Lúcia Góes apenas  diz que  o teatro  infantil “surgiu entre nós a partir da primeira década do século  XX”. A última parte – Referências bibliográficas  –  divide-se nos  seguintes subtítulos:  bibliografia  teórica, alguns livros de animais e alguns  livros de poesias.

GÓES, Lúcia Pimentel.  Introdução  à Literatura para Crianças e  Jovens. São  Paulo: Paulinas, 2010. 267p.

Tagged with:
Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Especialista em Teoria Literária pela UERJ. Mestranda em Estudos da Linguagem pela Universidade Federal Fluminense. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

View all contributions by Andréa Motta

Website: http://conversadeportugues.com.br/sobre/

Artigos relacionados

Comente! A sua opinião é muito importante para a construção deste blog!

Professores na web

Propriedade

Protected by Copyscape Duplicate Content Penalty Protection

MyFreeCopyright.com Registered & Protected