Como usar o ponto e vírgula

ponto-e-virgula

Um  texto  não  é constituído  apenas  pelas palavras e orações que o  compõem. A pontuação é responsável, em muitos   momentos,  pela  perfeita compreensão do texto.  Um ponto e   uma  vírgula  mal empregados podem mudar completamente o  sentido de  um texto.  No  Conversa de Português, já foram  publicados alguns  posts sobre o   uso da vírgula e, hoje, publicamos  algumas   dicas sobre o ponto e vírgula (assim  mesmo  sem  hífen, como registra  o  Vocabulário  Ortográfico da Língua Portuguesa).

Como  pontuar, de maneira adequada, a  frase abaixo de modo a  estabelecer sentido? A  brincadeira  tem sido espalhada pela  internet, mas  a  frase  já  havia aparecido na primeira edição da  Gramática Escolar da Língua Portuguesa, de Evanildo Bechara:

Maria toma banho porque sua mãe disse ela pegue a toalha.

O ponto  e vírgula serve de  intermediário  entre o  ponto e a vírgula, “podendo aproximar-se ora mais  daquele, ora mais desta, segundo os  valores pausais  ou melódicos que representa no  texto.  O conceito  bastante  impreciso  deste sinal  é explicado pelo fato de  o uso depender do  contexto.   O ponto  e  vírgula é  empregado:

a)  num trecho   longo, onde  já  foram  empregadas  muitas  vírgulas e  representa uma  pausa  mais  forte:  Eu estudei  Geografia; ele, Biologia.

b) na separação de  orações adversativas a fim de  realçar o  contraste: “Pode  a virtude ser  perseguida; mas  nunca desprezada.” ou “Pode  a  virtude ser perseguida, mas  nunca desprezada.”

c) antes das  conjunções conclusivas: Marcos anda  muito ocupado; por isso  não  tem respondido aos  nossos  e-mails.

d) na redação oficial, usa-se para   separar  diversos  itens de  leis, portarias e  processos.

Vejamos  como  fica  a frase  que  tem  circulado  pela  internet:

Maria toma banho porque sua; mãe, disse ela, pegue a toalha.

Leia também  no blog:

A vírgula  e o aposto

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.