Bullying- mentes perigosas nas escolas

O nadador  Michael Phelps, a  atriz Kate Winslet, o ator  Tom Cruise, o cineasta Steven  Spielberg e o ex-presidente Bill Clinton têm algo em comum: todos  foram  vítimas de bullying na infância ou na adolescência. Estes nomes de famosos foram  citados  pela doutora Ana Beatriz  Barbosa Silva em  seu  livro Bullying: mentes perigosas na escola, editado pela Objetiva.

Segundo a autora, o termo “sem tradução ainda  no Brasil é utilizado para  qualificar  comportamentos  violentos tanto de  meninos  quanto de  meninas” e  demonstram uma relação  de poder entre o agressor (bully) e  o agredido.  Apesar de o termo  ser usado  para  designar  a  violência  sofrida no  ambiente escolar,   doutora Ana usa-o também  para relações  familiares e profissionais, além  da prática na  internet, o que tem sido  chamado de ciberbullying.

No  primeiro capítulo, cita-se  o massacre ocorrido em  1999 no  Columbine  High School, em  Denver  Colorado. Dois alunos adolescentes  assassinaram 12 colegas e  um professor como   vingança pela  exclusão escolar  que  teriam  sofrido  durante  muito  tempo. Cinco anos mais  tarde,  o cineasta Michael Moore transformou  a  história no  documentário  Tiros  em Columbine.
O  capítulo seguinte apresenta o perfil do que  Ana Beatriz chama de “personagens da tragédia”: quem maltrata, quem  sofre e  quem assiste.  O agressor costuma  ser alguém  com forte liderança dentro  do  grupo e suas  atitudes vão de pequenos atos de  vandalismo à violência  física. A vítima  costuma ser o aluno com pouca habilidade de socialização; costuma ser tímido ou extremamente  reservado; pode ser aquele  aluno  costumeiramente rotulado de “caxias”, ou  gordo demais, ou magro demais, ou  tem uma orientação  sexual diferente. O espectador é o indivíduo omisso que  testemunha as ações do agressor e não o denuncia  por  medo de ser a próxima  vítima ou  por considerar que  é “apenas uma brincadeira”.
Nos  capítulos  seguintes, a médica apresenta as consequências  patológicas do bullying (pânico, depressão, bulimia, anorexia, ansiedade, fobias, psicoses)  e nomes  de  alguns  famosos  que  sofreram  agressão moral  na  infância.
A doutora  Ana  Beatriz apresenta, ainda, dicas de como  pais e professores  podem agir em situações de  agressão moral a alunos, mas não  aborda em seu  livro a agressão moral  sofrida por  docentes –casos raramente divulgados na imprensa e omitidos  por secretarias  de  educação. Ao pesquisar sobre  violência nas escolas, é  possível  encontrar inúmeras  notícias sobre  professores agredidos  física e moralmente por alunos.
Leia mais sobre o assunto:

 

 

bullying SILVA, Ana Beatriz Barbosa. Bullying: mentes perigosas na escola. Rio de Janeiro: Objetiva, 2010. 188p.
Gostou? Divulgue!

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura. Professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro.

Comentários