As funções da linguagem

fazendo a barba

O quadrinho acima usa, como  recurso de  humor, a  função metalinguística da linguagem, mas  você sabe quais são as funções da linguagem?

Os  estudiosos da teoria da comunicação afirmam que esta possui seis  funções:
1. Expressiva. A mensagem exprime a intenção  do emissor em relação  ao conteúdo  daquilo  que   foi  dito. É a função  que está presente nos  discursos expressos  na 1ª pessoa do discurso (diários, julgamentos  subjetivos, expressões de sentimento do falante ou escritor).
Quero banhar-me nas águas  límpidas
Quero banhar-me nas águas puras
Sou a mais  baixa das criaturas
Me  sinto sórdido
(BANDEIRA, 2001, p.99)
AutoretratoPICASSO

PICASSO.  Autoretrato.

2. Conativa ou  apelativa. É a função dos  textos  persuasivos. Está  presente nas  propagandas, nas expressões que denotam  uma  ordem a ser  seguida  pelo ouvinte ou  leitor. O  escritor italiano Italo Calvino usou tal recurso no capítulo inicial de  seu livro Se um viajante numa  noite inverno:

Você vai  começar a ler  o novo romance de  Italo Calvino, Se um viajante numa  noite inverno. Relaxe. Concentre-se. Afaste todos  os outros  pensamentos. Deixe que o  mundo a sua volta se  dissolva no  infinito. É melhor  fechar  a  porta; do  outro lado há sempre  um televisor ligado. Diga logo aos outros: “Não, não quero ver   televisão!” (CALVINO, 2003, p.11)
3.  Referencial. É a linguagem  objetiva das notícias, dos  textos científicos. Na mensagem referencial, não são  usados textos de dupla interpretação a fim de que seu conteúdo seja  plenamente compreendido.
Museu de Arte Contemporânea – aberto das 9 às 11h.
4. Fática. Está  presente nas mensagens  cujo objetivo  é estabelecer, manter  ou  cortar o contato, como um simples “Bom dia!”, um “Alô, você está me  ouvindo?” ou  “Oi, tudo bem?”.

5. Póética.  Ao  contrário  do  que  o nome  pode  sugerir, a função  poética   não está  presente apenas na poesia, mas é a  que  predomina  neste tipo de  texto. Dela  fazem  uso os  anúncios  publicitários (“Melhoral é melhor e não  faz mal”; “Esso: ponha  um tigre  no  seu carro”).
6. Metalinguística. É aquela que serve para dar explicações ou tornar a informação  ainda mais  precisa. Costumamos  dizer que é a mensagem centrada em seu  próprio código. Neste caso,   incluímos os dicionários, os    verbetes das  palavras  cruzadas. Até mesmo aqui, no  blog Conversa de Português, esta é a  função predominante, uma  vez que  o  objetivo é esclarecer dúvidas sobre  língua  portuguesa.  O  quadrinho usado  na abertura do  texto é  metalinguístico, pois utiliza o código  das tirinhas  para  falar de  si mesmo.  Também  podemos  observar a metalinguagem  nos programas de  TV que explicam  como  outros  programas são  feitos. Do mesmo modo, está  presente nos extras vendidos com  os filmes – os chamados making  off.


Fontes de pesquisa:

BANDEIRA, Manoel. Contrição. Antologia  Poética. 12.ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001, p.99.
CALVINO, Italo. Se um  viajante numa  noite de  inverno. São Paulo: Planeta De Agostini,  2003, p. 11
VANOYE, Francis.  Usos da linguagem. 11.ed.  São Paulo: Martins  Fontes, 2000.

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.