O que houve, afinal, com o hífen?

A frase que serve   como  título é adaptação da  pergunta feita,  via Twitter,  por  um leitor do  blog;  eu brinquei com ele  e respondi que o  “seu desespero  pelo hífen” havia  inspirado o  texto de   hoje. Toda  essa  preocupação tem  justificativa: o  Acordo  Ortográfico de  1990 alterou  boa  parte das  regras  para  uso deste sinal,  o  que nos  obriga a  reaprender (sem  hífen!).

Quando devemos usar o  hífen? O  texto original  do  Acordo contém as seguintes  orientações:

1.  Emprega-se  o  hífen nas  palavras compostas por  justaposição que    não contêm formas de  ligação e cujos  elementos,  de natureza  nominal, adjetival, numeral  ou   verbal, constituem  unidade  semântica e mantêm acento próprio: ano-luz, arco-íris, decreto-lei, médico-cirurgião,tenente-coronel, tio-avô, amor-perfeito (flor), guarda-noturno, segunda-feira.

Em certos compostos,  no  entanto, a  noção de composição   já  se  perdeu e permanecem  grafados  aglutinadamente: girassol, pontapé, paraquedista, madressilva.

Obs.: Chama-se justaposição o  processo de   formação  de  palavras  em  que os  elementos  se   unem  sem alteração  gráfica  ou fonética.  Aglutinação é  o processo em  que  ocorre  perda  gráfica e   fonética.

2. Emprega-se  o hífen nos topônimos (nomes de  lugares) iniciados pelos adjetivos  grã,  grão ou por    forma verbal ou cujos  elementos estejam   ligados  por   artigo:  Grã-Bretanha, Grão-Pará,  Abre-Campo, Passa-Quatro, Baía de  Todos-os-Santos, Trás-os-Montes.

Obs.: Os   outros  topônimos  compostos  escrevem-se   sem  o  hífen: Belo   Horizonte,  Cabo  Verde.    Guiné-Bissau é   uma exceção consagrada  pelo uso.

3. Emprega-se  o   hífen nas  palavras   compostas  que  designam  espécies  botânicas e   zoológicas, ligadas  ou   não por  preposição: couve-flor, erva-doce, bem-me-quer, bem-te-vi, erva-do-chá.

4. Emprega-se  o   hífen nos  compostos  com  os  advérbios bem e mal, quando  estes   formam  com  o  elemento seguinte  uma   unidade   semântica e  tal elemento  começa  por vogal ou H.  O   advérbio  bem, ao  contrário de  mal, pode  não se  aglutinar  com  palavras  começadas  por   consoantes: bem-aventurado, bem-estar, bem-humorado, mal-estar, bem-criado (observe malcriado).

As outras mudanças ortográficas  relativas ao  hífen serão  publicadas  amanhã. Não  perca! 

Andréa Motta

Professora de Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. Professora voluntária de Língua Portuguesa e Redação no Pré-vestibular Comunitário Padre José Maurício Nunes Garcia.

Comentários